Menu
Comentários

2 estrelas

José Miguel Costa, Lisboa 20-10-2019

Denunciar este comentário

O filme "Asako I & II", do realizador japonês Ryûsuke Hamaguchi, tal como o título denuncia, encontra-se dividido em dois capítulos, correspondentes a diferentes momentos temporais (e espaciais) vivenciados pela protagonista.
Na primeira parte a tímida jovem romântica Asako, à saída de uma exposição de fotografia em Osaka, depara-se com Baku (um miúdo popular e rebelde com comportamentos violentos) e apaixonam-se no imediato, transformando-se num casal indissociável (apesar das suas abissais diferenças) até ao dia em que ele parte abruptamente (sem quaisquer justificações) para não mais retornar, deixando para trás uma infeliz e inconsolável namorada.
No segundo capitulo, volvidos dois anos, encontramo-la já a residir em Tóquio, local onde irá cruzar-se com um sósia do seu amado ("em versão melhorada", uma vez que possui todas as virtudes imagináveis), com o qual irá refazer a vida (sem que este jamais tenha conhecimento do "seu outro").
Será um novo amor (morno) ou um simples "objecto de substituição", que implicará o eterno pairar de um passado idealizado? Eis a questão para um milhão de eyenes que o realizador não tem mestria para esmiuçar nesta espécie melodrama frio (não, não se trata da tradicional subtileza da cinematografia nipónica) e vazio de conteúdo (e consequentemente demasiado extenso e quase entediante). Como se tal per si não fosse suficiente, a dupla anti-natura de inexpressivos e apáticos (até para o padrão cultural japonês ... digo eu) protagonistas também não ajuda nada a encaminhar esta obra para "bom porto".

Escrever comentário:

Topo
Pesquisar
© 2011 PÚBLICO Comunicação Social SA