Menu
Ficha de Filme
Robert Doisneau, O Rebelde do Maravilhoso
Galeria de fotos

Sinopse

Nascido em 1912 na cidade de Gentilly (França), Robert Doisneau foi criado por uma tia após a morte de ambos os pais. Iniciou-se na fotografia muito jovem e revelou, desde cedo, um talento e sensibilidade peculiares. Já adulto, dedicou-se a fotografar a cidade, registando pessoas de diversas classes sociais nas ruas e cafés de Paris. Influenciado pela obra de André Kertész, Eugène Atget e Henri Cartier-Bresson, Doisneau apresentou uma visão da fragilidade humana e da vida de um modo muito próprio. Em 1950, sentado numa esplanada do Hôtel de Ville, gravou um momento que se tornou num dos mais icónicos da fotografia do século XX e o símbolo do romantismo parisiense: "O Beijo do Hotel de Ville". Nele, Françoise Bornet é beijada por Jacques Carteaud, o namorado, numa rua movimentada de Paris. Até ao início dos anos 1990, milhares de pessoas acreditavam tratar-se de uma imagem captada por acaso por um profissional atento. Doisneau estava, de facto, atento - o suficiente para reparar num jovem casal numa mesa de café e lhes pedir para que posasse para ele, num beijo apaixonado que parece deixá-los suspensos, perante a indiferença de quem passa. Robert Doisneau faleceu em Abril de 1994, a poucos dias de completar 82 anos.
Com realização de Clémentine Deroudille, este é um documentário que junta arquivos de fotografia a vídeo inéditos, bem como entrevistas dos seus amigos, e faz um retrato intimista de um dos mais célebres e influente fotógrafos do séc. XX. PÚBLICO

Votar

Votos dos leitores

Total de votos (7)

Votos dos críticos

Total de votos (0)

Secções

Mesmo Género

Topo
Pesquisar
© 2011 PÚBLICO Comunicação Social SA